A demissão

06/04/2011

Não fomos educados para perder. Cada vez mais, as famílias estão preocupadas em evitar que seus filhos passem por frustrações. Queremos tudo, menos que nossas crianças sofram. Boas notas, passar de ano, entrar na melhor faculdade, conseguir o primeiro emprego, ser feliz no amor… e então aparece a definitiva lição: uma demissão.

Aos poucos, as universidades estão cuidando de formar os alunos nas disciplinas que cuidam de questões cotidianas envolvidas no relacionamento interpessoal. Mas encarar uma demissão é uma das experiências mais duras a que um profissional pode ser submetido. Aprender com ela é uma oportunidade para dar uma guinada em sua carreira.

Somente aqueles que passaram por essa experiência podem entender como uma pessoa se sente naquela ocasião. Se não detectada com antecedência, as reações mais comuns para uma demissão são:

“Não pode ser! Não pode ser verdade!”
A primeira reação é muito negativa. A pessoa talvez não esteja emocionalmente preparada para conversar sobre a sua situação, e não deve ser forçada a fazê-lo. É como se o chão fosse tirado sob os seus pés e a expectativa é que o mensageiro, como num passe de mágica, diga que tudo não passa de uma brincadeira de mau gosto.

“Mas que injustiça!”
A pessoa demitida troca o sentimento de incredulidade por ira e ressentimento. “Por que eu? Por que não acontece com aquele meu colega incompetente? Que injustiça”. É hora de culpar o outro: o chefe, o colega, o vizinho, a família… É o auge da frustração. Cuidado para não dizer coisas das quais pode se arrepender no futuro.

“Eu poderia ter feito diferente…” Leia o resto deste post »


Existem funcionários superbactérias?

06/04/2011

Em tempos de geração X, Y e Z, você é capaz de reconhecer um funcionário superbactéria? Ele passa a maior parte do tempo sem ser percebido, alojado em algum departamento e com atuação aparentemente inofensiva para a organização. Mantém-se por muito tempo desenvolvendo a capacidade de sobreviver aos choques de gestão, processos de reestruturação e cortes de pessoal.

Para ele, carreira é sinônimo de permanência. Não deseja subir, nem crescer. Quer ficar. Não lidera equipes, nem é responsável por atividades que exigem exposição – são excelentes executores. Pela experiência, é importante formador de opinião. Suas posições são muito consideradas pelos colegas.  Conhece todas as trilhas da organização.

Com o tempo e a rotina, descobrem como superar os projetos mirabolantes para transformar a empresa rumo ao dito futuro desejado. São resistentes às mudanças, mas podem fazer concessões que garantam sobrevivência. Leia o resto deste post »


Elas são as donas

03/04/2011

Já há mais mulheres empreendedoras no Brasil do que homens. No comando de suas empresas, elas podem mudar o país

O número de brasileiras à frente do próprio negócio superou o de homens pela primeira vez na história. Elas já são 53% dos profissionais que decidem juntar as economias e tentar a sorte em carreira solo – um universo de 18,8 milhões de pessoas no Brasil. As mulheres já vinham ensaiando a decolagem há quase uma década. Desde 2001, segundo a pesquisa Global Enterpreneurship Monitor, realizada no país pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade, o número de empreendedoras mostra tendência clara de crescimento, enquanto o de homens empresários está estagnado. Em 2009, ano do levantamento mais recente, elas deram a virada. “As mulheres já são maioria nas empresas e nas universidades. É natural que comecem a despontar como empresárias”, afirma Enio Pinto, gerente de Inovação do Sebrae Nacional. Leia o resto deste post »


Os cinco passos para a verdadeira motivação

10/02/2011

O que cria um vencedor? O que faz uma pessoa com uma infância humilde acabar prosperando?

Tudo o que fazemos é por um motivo. Somos motivados pelo prazer ou estimulados pela dor. E se aprendemos a dominar essas duas formas que nos motivam, então, estaremos no controle de nossas vidas.

O que nos dá razão para agir? Prazer ou dor que vinculamos em nosso sistema nervoso. Preste muita atenção nesta frase que será de extrema importância para começarmos o assunto: Tudo o que fazemos não se deve ao que sabemos e sim ao que associamos dor ou prazer.

Por que você não faz algumas das coisas que sabe que deveria fazer? Por que você acredita que fazer algo naquele momento será mais doloroso do que ficar sem fazer nada. Porque intelectualmente você sabe que deve fazer e o que te impede é a associação de algo ruim ou pior ao fazer. Por exemplo, você quer ganhar cinco vezes mais do que ganha hoje e, para isso, tem que sair para vender algo, mas não sai para vender porque pode ser rejeitado por alguém, porque podem humilhá-lo ou fica andando sob o sol e para um lugar longe é cansativo. Já conheceu alguém assim?

Os cinco passos para a verdadeira motivação

1 – Cite três ações que você precisa para fazer e que vem protelando. Pode ser: vender mais; perder cinco quilos; falar para o seu pai que você o ama; pedir um aumento salarial.

Leia o resto deste post »


Motivação: Qual é a sua?

06/02/2011

Estava lendo alguns artigos sobre Motivação e revendo alguns materiais  e me deparei com todas aquelas perguntas frequentes em qualquer Palestra sobre o assunto. Afinal o que é motivação? É ser feliz, é enxergar o mundo com outros olhos, é conquistar resultados, é superar obstáculos, é ser persistente, é acreditar nos seus sonhos, é o que?

Resolvi então, compartilhar com vocês um vídeo que costumo usar em muitas de minhas Palestras Motivacionais e Treinamentos, para que possamos conversar mais sobre este assunto.

Leia o resto deste post »


11 dicas para descobrir o potencial de lider que existe em você

23/12/2010

Leia as dicas e observe o que você já faz Leia o resto deste post »


Ser líder não tem nada a ver com ser chefe

13/09/2010

O líder consegue extrair as habilidades individuais dos elementos da sua equipe, combinando-as na busca da sinergia. A água que bebemos é fruto da sinergia entre o hidrogênio e o oxigênio.

Leia o resto deste post »