Mais algumas perguntas frequentes em entrevistas de emprego

07/04/2011

É fundamental estarmos preparados ao participar de um processo seletivo. Veja mais algumas perguntas frequentes em entrevistas e faça a lição de casa antes de ir. Leia e responda cada uma delas, certamente vai lhe ajudar no momento de ter que responder ao entrevistador.

Por que você decidiu trabalhar na nossa empresa ? Continue lendo »

Anúncios

A Linguagem Corporal na Entrevista de Emprego

07/04/2011

Embora muitos não saibam, aproximadamente 70% da comunicação humana se dá no nível subconsiente ( pequenos gestos e atitudes corporais ), alguns desses sinais podem dar boas dicas sobre você para a pessoal com a qual você está conversando. É muito importante conhecer e usar a linguagem corporal a seu favor, pois ela é um dos principais fatores que os entrevistadores são treinados para “ler”. Lembre-se sempre: o seu gestual e suas atitudes são tão importantes quanto o que você está dizendo. Abaixo alguns dos principais gestos e posturas que podem surgir no contexto da entrevista de emprego e o que eles significam:

  • Braços Cruzados: Um dos sinais corporais mais básicos, está relacionado diretamente á postura defensiva. Cruzar os braços indica que a pessoa não está confortavel ou então confiante no ambiente em que ela está.
  • Gestos Repetitivos: Durante a sua entrevista de emprego,
    ficar fazendo gestos repetitivos tais como bater as mãos sobre as Continue lendo »

Procurando Emprego

07/04/2011


As 12 perguntas mais frequentes numa entrevista de emprego

06/04/2011

Tem uma entrevista de emprego e não sabe o que vão perguntar? Nós daremos uma ajuda para saber o que responder.

Leia com atenção, treine e boa sorte!

1. Fale sobre si.
Esta pergunta é quase obrigatória em uma entrevista desemprego e deverá ser muito bem praticada para uma resposta sucinta, direta e, acima de tudo, que valorize o seu perfil profissional.

2. Quais são seus objetivos a curto prazo? E a longo prazo?
Seja específico e tente aproximar, de alguma forma, os seus objetivos aos da própria empresa. Respostas como “ganhar bem” ou “aposentar-se” são totalmente proibidas.

3. O que o levou a enviar o seu currículo a esta empresa?
Aproveite esta deixa para demonstrar que fez o seu “trabalho de casa” e fale sobre a atividade da empresa e a forma como o posicionamento desta a torna uma empresa de elevado interesse para qualquer profissional. Naturalmente, para responder a esta pergunta, é preciso fazer previamente uma pesquisa sobre a empresa. Vá ao site institucional, faça pesquisas usando mecanismos de busca, leia revistas da especialidade e converse com pessoas que trabalham ou já trabalharam lá.

4. Qual foi a decisão mais difícil que tomou até hoje? Continue lendo »


10 dicas para fazer uma carta de apresentação

06/04/2011

Uma carta de um ou dois parágrafos que vai junto com o currículo. Ela é solicitada pelas empresas porque os currículos se parecem muito. É a carta que diferencia um candidato do outro. Ela deve sempre conter algum dado que estabeleça uma ligação entre você e a empresa. Muita gente resume na carta o que já está escrito no currículo ou coloca frases de autoelogio (do tipo “sou muito versátil”). Se eu fosse mandar uma carta de apresentação para um banco, por exemplo, escreveria que minha família é cliente do banco há 20 anos e que o atendimento sempre foi exemplar. Por isso, essa é a empresa na qual eu gostaria de trabalhar. Esse é o segredo. O currículo pega mais pela razão, a carta mais pela emoção. – MAX GEHRINGER

 

Redigir uma carta de apresentação é mais fácil do que aparenta. É só seguir algumas regras básicas para não se perder no meio do caminho. Veja algumas dicas:

1. A carta de apresentação serve, principalmente, para currículos enviados pelo correio, quando há necessidade de informar a pretensão salarial. Cabe também para apresentar o profissional – no caso de uma indicação, por exemplo. Continue lendo »


A demissão

06/04/2011

Não fomos educados para perder. Cada vez mais, as famílias estão preocupadas em evitar que seus filhos passem por frustrações. Queremos tudo, menos que nossas crianças sofram. Boas notas, passar de ano, entrar na melhor faculdade, conseguir o primeiro emprego, ser feliz no amor… e então aparece a definitiva lição: uma demissão.

Aos poucos, as universidades estão cuidando de formar os alunos nas disciplinas que cuidam de questões cotidianas envolvidas no relacionamento interpessoal. Mas encarar uma demissão é uma das experiências mais duras a que um profissional pode ser submetido. Aprender com ela é uma oportunidade para dar uma guinada em sua carreira.

Somente aqueles que passaram por essa experiência podem entender como uma pessoa se sente naquela ocasião. Se não detectada com antecedência, as reações mais comuns para uma demissão são:

“Não pode ser! Não pode ser verdade!”
A primeira reação é muito negativa. A pessoa talvez não esteja emocionalmente preparada para conversar sobre a sua situação, e não deve ser forçada a fazê-lo. É como se o chão fosse tirado sob os seus pés e a expectativa é que o mensageiro, como num passe de mágica, diga que tudo não passa de uma brincadeira de mau gosto.

“Mas que injustiça!”
A pessoa demitida troca o sentimento de incredulidade por ira e ressentimento. “Por que eu? Por que não acontece com aquele meu colega incompetente? Que injustiça”. É hora de culpar o outro: o chefe, o colega, o vizinho, a família… É o auge da frustração. Cuidado para não dizer coisas das quais pode se arrepender no futuro.

“Eu poderia ter feito diferente…” Continue lendo »


Facebook inicia contratações em São Paulo

18/03/2011

Que tal entrar para o time de Mark Zuckerberg? Agora, vai ficar mais fácil. O escritório de São Paulo da rede social Facebook, finalmente, começa a procurar profissionais para a operação brasileira. Continue lendo »