Office Web Apps chega aos usuários da América Latina

O serviço funcionava desde setembro de 2010 para usuários com Office 2010 instalado, Microsoft declara que, agora, a disponibilidade é para valer

Em sessão realizada na terça-feira (12/4), na sede da Microsoft em São Paulo, executivos da companhia apresentaram o lançamento oficial do Office Web Apps (OWA) – suíte de produtividade online da empresa.

A motivação para o anúncio foram os 53 milhões de acessos únicos ao serviço de webmail da Microsoft registrados em fevereiro desse ano.

“Isso são apenas contas com perfil configurado em português”, comemora a executiva Carolina Aranha, gerente de produtos online da empresa. “Não estão incluídos nesses números as inúmeras contas brasileiras com o idioma principal configurado para o inglês, por exemplo”, completa.

A estratégia da empresa consiste em ser sinônimo de serviços na nuvem, hospedados em servidores web. Também planejam oferecer a usuários que não dispõem de PC em casa ou não têm instalado um pacote Office

Liberado
De acordo com a gerente de Windows Live para a região da América Latina, Ana Beatriz Silveira, de agora em diante a solução estaria liberada a todos os usuários com contas nos servidores de email da empresa (Hotmail e Live) com perfis configurados para o idioma português.

“Antes era possível que usuários da região da América Latina acessassem o recurso do OWA, mas essa função era limitada às contas configuradas nos idiomas dos países onde o serviços já estivesse disponível”, conta a executiva.

Mas, quando em setembro de 2010 o IDG Now! publicou com exclusividade que o OWA estava funcionando na web brasileira, criamos um arquivo no Word online em uma conta recém-estabelecida no Hotmail.com.br e configurada para o idioma português.

Questionada sobre o conflito que essa informação cria com a declaração da liberação somente agora, a Microsoft responde que essas foram ocasiões pontuais, e não valem para todas as contas. Tratava-se de casos que não denotam, de forma nenhuma, o padrão de liberação da suite OWA.

Uma das vantagens que a solução da Microsoft tem em relação a produtos concorrentes, como o Googe Docs, é a interface igual à do ambiente de edição da suíte Office. Apesar dos recursos serem limitados em comparação ao uso de uma versão instalada localmente, o Office Web Apps é de fácil utilização e traz o ribbon, marca registrada do produto desde a versão 2007 da suíte de produtividade.

Mas falta a opção de salvar arquivos texto no formato .txt, o que possibilitaria a edição local de conteúdo criado com o Word na nuvem em máquinas sem o MS Word instalado.

Na demonstração, os executivos mostraram recursos razoavelmente avançados do Excel sendo usados no Office Web Apps para, depois, tentarem abrir o mesmo documento na suíte de produtividade da concorrente Google.

Gráficos de vários tipos e recursos novos do Excel, como uma trend line – elemento gráfico que descreve o comportamento de um item ao longo de um período de tempo – não puderam ser visualizados na suíte Google Docs.

Mobile
Usuários que quiserem usar a suíte de documentos do OWA em seus smartphones terão de esperar. Não existe previsão para liberar o recurso de edição de arquivos criados na suíte de produtividade online da Microsoft em clientes móveis. Na conversa com os executivos, foi explicado que a opção de visualização do conteúdo de arquivos seria – por enquanto – suficiente.

Mas existe uma maneira de contornar essa deficiência do pacote online da Microsoft e de aproveitar o ambiente de edição de arquivos do Excel, por exemplo.

Nas configurações do navegador mobile (usamos o Dolphin HD em sistema Android 2.3.3 rodando em um Milestone I, da Motorola e conexão WiFi), edite o tipo de cliente (user agent) que os sites devem identificar quando acessar as URLs a partir de seu sistema móvel. Nessa lista, escolha desktop. Assim, quando o Dolphin enviar sua identidade ao servidor, este o perceberá como um browser de um PC ou laptop padrão e tratará a conexão dessa maneira.

Uma vez na interface do Hotmail ou do Live, use o OWA como se estivesse em frente ao computador de casa. Se decidir usar o OWA dessa maneira, saiba que configurar o browser para ser interpretado como um navegador desktop irá consumir mais dados, pois sites feitos para PCs desktop ou Laptops são entregues em versão full.

Ainda, com botões minúsculos, a edição de arquivos é uma experiência menos agradável do que se espera.

Testamos o mesmo recurso com o iPhone 4 rodando o Atomic Web Browser configurado para se identificar como um cliente Internet Explorer 8. Com base nessa configuração, não foi possível editar qualquer documento do OWA.

Arrastar e soltar
Um dos recursos mais apreciados nos produtos da Microsoft é, sem dúvida, a opção de mover conteúdo entre aplicativos com o mouse.

Tal recurso é, na ótica dos executivos da Microsoft, usado apenas por usuários avançados, motivo que explica a ausência dessa funcionalidade na suíte de produtividade online da empresa.

De fato, arrastar texto selecionado entre aplicativos para a janela de edição funciona com deficiência no OWA. Mas a habilitação desse recurso parece ligada ao navegador que se usa. Na versão do Internet Explorer 9, foi possível copiar texto entre páginas web e os documentos do Word do OWA. Rodando o Chrome 10, essa operação também foi relativamente bem sucedida. Em ambos os navegadores, a quantidade de conteúdo era limitada a uma linha de texto, idependentemente de quantas linhas fossem selecionadas.

Com o Firefox 4 não foi possível transferir nenhum texto entre aplicativos. Até o fechamento dessa matéria , a Microsoft não se pronunciou sobre esse aspecto de sua suíte de produtividade online.

Segurança
Por motivos que podem estar ligados à segurança, macros de arquivos não são executadas na suíte online da Microsoft. Pode ser uma excelente medida para prevenir a infecção de todos os arquivos salvos no SkyDrive – disco virtual da MS que abriga o conteúdo gerado no OWA.

Colaboração em tempo real

A suíte de produtividade da Microsoft permite que dois usuários editem o mesmo arquivo ao mesmo tempo. Essa função, porém, está liberada apenas para os produtos Excel e OneNote. Nessa circunstância, os usuários são informados da edição simultânea através de uma mensagem no canto inferior direito.

Como existe a opção de baixar o arquivo para prosseguir com sua edição de forma local, a Microsoft adicionou o recurso salvar no SkyDrive à suíte Office. Assim, mesmo que um usuário esteja com o arquivo aberto na nuvem e outro, localmente, a colaboração continua possível.

Durante o processo de coautoria de um arquivo no OWA, alterações efetuadas por usuários são marcadas em cor amarela, o que oferece aos usuários algum controle sobre o documento e o processo de edição. Caso os dois tentem editar uma mesma célula, o OWA emite um aviso do campos selecionado estar em edição.

Não é possível definir um usuário mestre, alguém hierarquicamente superior a outro usuário na instância de edição do arquivo. Assim, se dois usuários alterarem um mesmo campo em uma planilha do Excel, a última atualização será exibida. Para reverter qualquer alteração, é necessário acessar a interface de gestão dos documentos e selecionara opção do histórico de alterações.

Via ComputerWorld

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s