Apostando em benefícios, pequenas empresas vão à luta contra as grandes para manter talento

Mais que os que grandes empreendimentos, as micro, pequenas e médias empresas têm dado uma contribuição importantíssima para a redução dos índices de desemprego no Brasil. De acordo com o Sebrae, 56% dos postos formais criados no Brasil são oferecidos por elas. Mesmo assim, historicamente, sua posição foi sempre de preparar e repassar força de trabalho para as companhias maiores, mais atrativas, principalmente, por oferecerem uma série de benefícios que, até pouco tempo, não eram muito comuns nas PMEs. Agora, isso está mudando.

Atualmente as micro, pequenas e médias empresas investem em estratégias e ferramentas para reter os profissionais talentosos e que trazem resultados e inovações. “A falta de mão de obra especializada preocupa os empresários, que utilizam táticas como criar ambientes corporativos mais atraentes, benefícios, prêmios, possibilidades de crescimento, confraternizações e mudanças na cultura organizacional para reter os profissinais, já que é praticamente impossível competir com os altos salários oferecidos pelas grandes companhias”, observa Eberson Luiz Federezzi, diretor e fundador da empresa de recursos humanos Global Network.

Como encontrar uma boa oportunidade em uma PME?

Federezzi ressalta que as organizações de menor porte oferecem boas oportunidades, mas é preciso persistência para encontrá-las já que as ofertas são pulverizadas e mais difíceis de serem encontradas. “O networking é fundamental. Retomar contatos antigos, sempre manter relações com os ex-colegas e chefes de trabalho, mesmo que seja virtualmente é imprescindível. A busca por uma vaga deve ser contínua, quanto maior for o esforço, menor será o tempo despendido”, aponta Federezzi.

Este tipo de organização busca profissionais com perfil empreendedor, que vistam a camisa da empresa. Pessoas com este perfil estimulam o crescimento da empresa, dedicam-se para transformar o negócio em um produto de sucesso, como se fosse o seu próprio. “É importante que o profissional avalie se ele se encaixa nas empresas de pequeno porte. A vantagem é a possibilidade de desenvolver habilidades e alcançar novos níveis na hierarquia mais rapidamente”, acrescenta.

Flexibilidade

Como as pequenas empresas estão em constante processo de desenvolvimento, os cargos e estruturas também são mais flexíveis e receptivos a mudanças. Além disso, os processos decisórios acontecem com maior agilidade, pois o número de pessoas envolvidas é menor. “Disposição, criatividade e proatividade são competências muito valorizadas pelos pequenos empreendedores. O profissional deve analisar a área na qual deseja se estabelecer e observar o nível de profissionalização da empresa que tem como alvo para então disputar a vaga”, finaliza.

Via Portal Administradores

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s