Empreendedor, me dá o autógrafo? O caso Jovem Nerd

O caso de sucesso do site e podcast sobre o mundo nerd mostra que a partir da identificação com o público é possível receber publicidade e vender produtos da marca.

A cena é inusitada: numa sessão de autógrafos, uma multidão ansiosa pelos autógrafos dos empresários da editora, das mulheres deles, dos amigos deles e dos filhos deles, tanto quanto do próprio autor.

Aconteceu com os empresários e blogueiros Alexandre Ottoni e Deive Pazos no lançamento do livro do amigo e autor Eduardo Spohr, A Batalha do Apocalipse. Nunca ouviu falar? O site que eles criaram, Jovem Nerd, tem mais de 25 mil acessos diários e o livro de Spohr, lançado pelo selo vinculado ao site, se tornou o livro mais vendido no estande da Editora Record na Bienal do Livro 2010 em São Paulo.

Mas o que faz tanta gente querer suas contra-capas autografadas não só pelo autor mas por outras pessoas que, à primeira vista, não têm conexão nenhuma com a obra? Simples: são todos participantes do conteúdo base que sustenta toda a estrutura do site, que é um podcast.

Um podcast é um arquivo de áudio, parecido com um programa de rádio, mas que as pessoas baixam e ouvem onde e quando quiserem no seu tocador de mp3 (a parte “pod” do nome combina com Ipod). No caso, o “nerd”cast vai ao ar toda sexta-feira e é um papo descontraído entre amigos, com o que seria a visão nerd sobre os mais variados temas (inclusive os não nerds).

O formato aparentemente despretensioso os tornou famosos. Os participantes, ao exporem suas histórias, gostos e visões tão variadas (há o sarcástico, o escritor, o que mora no exterior, o amigo-enciclopédia), criam uma discussão equilibrada e várias possibilidades de identificação com o espectador.

Ao mesmo tempo, compartilham com os ouvintes um interesse comum, o olhar nerd sobre o mundo. Como empreendedores com o mesmo interesse que seus clientes, eles se colocam como consumidores e estabelece-se o par.

Prova desse elo é um vídeo publicado no site em que eles aparecem adquirindo várias caixas de actions figures nos EUA (“figura plástica posável de um personagem”, segundo a Wikipédia; “brinquedo adulto” parece um pouco mais claro para que não é iniciado).

Ao concretizar um sonho tipicamente nerd “comprar quantos action figures for possível numa loja no exterior” eles demonstram o quanto compartilham naturalmente dos anseios de seus clientes. E é justamente essa familiaridade que tornou possível a tarde de autógrafos “coletiva”.

A intimidade entre empreendedor e cliente está refletida nos anúncios e produtos vendidos. O público elege as histórias mais marcantes dos programas, o que resulta em “melhores momentos” e canecas com as melhores frases dos participantes vendidas no site.

A caneca não é adquirida pela utilidade específica, mas pela capacidade e impacto que as frases impressas nela têm em fazer recordar o espectador momentos agradáveis de um dos seus programas favoritos. Além do fator emocional, o consumidor ainda faz parte da confecção dos produtos e dos serviços que ele anseia.

Na parte da publicidade, os anúncios estão sempre de acordo com o tema do programa da semana. O ouvinte então sente uma relação mais honesta entre o site e ele. É menos uma publicidade bolada por especialistas em mercado e sim outros consumidores, quase amigos, dando a sua recomendação e aprovação.

Foi o caso do livro A Batalha do Apocalipse. Os blogueiros gostaram do livro do amigo e acreditaram em seu potencial comercial. Fizeram um nerdcast específico sobre o livro e lançaram alguns teasers durante outros (pequenos trechos do livro lidos por dubladores).

A estatística de 200 livros vendidos em duas horas e o posterior interesse da editora Record em republicar o livro demonstram o sucesso.

O site Jovem Nerd deixa claro a importância do vivenciar, da emoção e da identificação num empreendimento digital. O que vem bem a calhar no contexto atual já que, nesse tipo de abordagem, o cliente, de fato, recusa imitações.

As ferramentas online propiciam novas e inusitadas interações entre empreendedor e cliente – e a pergunta que não quer calar é: você está pronto para desbravá-las, explorar seu potencial no melhor nível? Está pronto para distribuir seu autógrafo?

Por Matheus Pacheco

Anúncios

One Response to Empreendedor, me dá o autógrafo? O caso Jovem Nerd

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Kleidson Abreu and Rafael Honorato, Consultoria S3. Consultoria S3 said: Empreendedor, me dá o autógrafo? O caso Jovem Nerd http://migre.me/3IMMh #S3Blog […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s